Vasco 0 x 1 Flamengo

Depois de todas as cenas deploráveis de ontem, tornou-se bem mais complicado comentar o jogo. Todavia, vamos lá, pois ainda temos que trilhar um longo caminho pela frente.

A partida, dentro de campo, foi bem ruim. Muitas faltas, poucas jogadas objetivas e quase nenhum lance de perigo, exceto o gol do Fla.

Pelos desfalques, já era esperado que o Vasco não tomasse as ações do jogo e optaria por jogar no contra-ataque. E assim foi: o Fla trocou passes e a nossa equipe aguardou alguma falha defensiva deles para ir ao ataque.

É fundamental pontuar que ficou claro que o time sentiu muita falta de Douglas, Breno e Jean. O garoto da base e o zagueiro são duas peças chaves na saída de bola cruzmaltina. Sem eles, ficamos reféns dos chutões. Por essa razão, o Fabuloso foi o destaque pelo nosso lado, pois conseguiu prender algumas bolas na faixa mais avançada do campo.

Além disso, foi nítido que o Vasco não conseguiu trabalhar as jogadas ofensivas como de costume. Não houve triangulações e nem tabelas que pudessem envolver o time adversário.

Um dos poucos pontos positivos foi a atuação do sistema defensivo, sobretudo no que diz respeito a posicionamento. O Fla possui boas peças individuais, mas mesmo assim não pressionou ou levou perigo à nossa defesa. Conseguimos anular as principais peças deles. Infelizmente, alguns jogadores desse setor comprometeram a boa exibição e o resultado da partida.

A partir das últimas exibições do Vasco, é necessário questionar algumas decisões do Milton Mendes

1º = Mateus Vital e Nenê não podem jogar juntos nesse esquema. Eles se anulam. Nenê, de vez em quando, cria boas jogadas, mas não é suficiente.

2º = Wagner é um jogador que cadencia o jogo e que tem um bom passe. Ele rendeu bem quando jogou mais recuado e não na posição do Mateus ou no lugar do Nenê.

3º = Cadê o Guilherme? O garoto foi um dos destaques no primeiro semestre. Atuou do lado direito e do lado esquerdo. Não entendo porque ele é preterido.

4º = Paulão não pode ser titular. Está na hora de testar o menino Ricardo.

Sobre as cenas deploráveis ocorridas em São Januário, temos publicado na Guerreiros da Colina o belo texto de Rafael Serfaty.

REAGE, VASCO!

Comentários

comentários